quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O inimigo do Natal

Por maior que esteja sendo a crise que passamos, se houvesse criatividade e boa vontade por parte do poder público, Bragança poderia ter tido um natal alegre e proveitoso. Relatos de Raul Lencini - ex-secretário de cultura - acerca de sua gestão mostram que não é preciso muito dinheiro para conseguir grandes feitos, basta ter força de vontade. Essa vontade, porém, pareceu ter faltado, e em muito, ao atual - e um tanto improvisado – secretário de cultura da cidade, Luis Henrique Duarte, o Quique Brown.



De acordo com o vereador Rafael de Oliveira, muitas foram suas tentativas de salvar a comemoração na cidade. No entanto, o vereador não conseguiu apoio ‘’nenhum” da secretaria de cultura, local que é de onde mais deveria ter vindo.

No princípio de fevereiro desse ano, esse mesmo vereador envio um ofício a prefeitura para que a mesma planejasse uma parceria com as empresas e comerciantes da cidade afim de que o Natal 2015 não fosse tão opaco como no ano anterior. A prefeitura, obviamente, repassou isso a secretaria de cultura. No entanto, o esforçado e muito bem pago com o dinheiro do povo “Quique Brown”, não se manifestou; não houve iniciativa alguma de sua secretaria.

A prefeitura também ofereceu uma pequena ajuda reativando parte da iluminação de natal do ano anterior, cedeu um ótimo policiamento e guarda até com cavalaria, e também autorizou Rafael a ceder o espaço do pergolado na praça central e a frente do Mercado Municipal para que nesses fossem realizados eventos natalinos onde todos deveriam e foram de responsabilidade somente do vereador, que presenteou o povo com um total de 13 belas apresentações que se desenrolaram por vários dias.

As apresentações natalinas vistas na praça e no Mercado não foram de iniciativa da prefeitura, tão pouco da inativa secretaria de cultura, mas de um simples vereador que contou apenas com um auxílio das secretarias de educação – que fez a decoração do palco - e secretaria de serviços – que fez a montagem do mesmo. Junto a isso teve uma grande e atenciosa colaboração da Giovani Eventos, que cedeu o som, e das igrejas: O Brasil para Cristo, Adventista, Vida Triunfante, Assembleia de Deus de Perus, Tabernáculo de Jesus, Assembleia de Deus – Ministério de Bragança, e também da Adra e do Colégio Adventista.

É de grande alegria que podemos ver o quanto existem pessoas e entidades dispostas a ajudar e fazer algo de qualidade para a alegria e conforto de nossa população. Assunto que deveria ser de total responsabilidade da Secretaria de Cultura, a qual não pode mais vestir a máscara do cinismo e alegar falta de dinheiro, pois a cidade inteira viu que um simples vereador, com apenas força de vontade, conseguiu reunir uma multidão de pessoas dispostas a fazer o bem e com isso obteve sucesso. Porque então o secretário não fez o mesmo? Seria falta de vontade? Paixão obsessiva pelo rock? Medo de alegrar pessoas e fazer fãs? Fobia de Papai Noel? Ninguém sabe! Uma coisa, porém, é certa: Esse descaso foi um grande desrespeito a população que paga seu “rico” salário.


Um feliz – se possível – Natal ao nosso secretario de cultura e turismo. Obrigado pelo seu “atencioso” presente a Bragança Paulista.


*por Adrian Mcoy

Nenhum comentário:

Postar um comentário